A otite é uma infecção no ouvido que pode ser interna ou externa, provocando dor e desconforto. Na maioria das casos pode ser o resultado de alergias ou ação de vírus, bactérias e fungos.

No verão a otite costuma aparecer com maior frequência, isso porque algumas atividades típicas dessa época do ano são mais favoráveis ao seu surgimento, principalmente aquelas que são realizadas na água, como o ato de mergulhar.

A otite interna está relacionada a labirintite, problema que afeta o labirinto, estrutura da orelha interna constituída pela cóclea, vestíbulo e canais semicirculares, que são os responsáveis pela audição e equilíbrio, respectivamente.

Já os casos de otite externa tem origem quando a infecção atinge toda a área do ouvido externo chegando até a porção mais externa do tímpano, e pode ocorrer quando há acúmulo de umidade no ouvido interno fazendo com que fungos ou bactérias se desenvolvam no local.

Apesar de um quadro maior de otite prevalecer em crianças e bebês, qualquer pessoa em qualquer idade pode estar sujeito a este problema, principalmente pessoas que costumam introduzir com frequência objetos dentro do ouvido, como por exemplo grampos, tampa de caneta ou até mesmo o próprio cotonete.

Prevenção e tratamento

A exposição frequente à água é uma das principais causas da otite, no entanto você pode aproveitar o verão sem se preocupar com isso. Sempre que se molhar muito ou mergulhar, não esqueça de enxugar muito bem o canal do ouvido com a ponta da toalha, de modo que não machuque.

Evite limpar em excesso os ouvidos com cotonetes. Lembre-se de que a cera também serve para proteger, e além disso, qualquer objeto que seja introduzido com frequência nos ouvidos poderá fazer mal.

Para tratar a otite é necessário procurar um médico especialista ou clínico geral que irá receitar o uso de analgésicos via oral, antibióticos e antifúngicos. Caso exista a presença de inchaços no local realize compressas de calor para reduzir o desconforto. Em casos de otite interna poderá ser feita a internação do paciente a fim de controlar a infecção e oferecer cuidados mais intensivos.