Dia 21 de setembro é celebrado o Dia Mundial da Doença de Alzheimer, por esse motivo vamos abordar o assunto com mais profundidade falando sobre seus estágios e tratamento.

O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa que acomete em geral pessoas idosas e é responsável por 70% dos casos de demência. Esse problema de saúde afeta significativamente a qualidade de vida do indivíduo, seu desenvolvimento econômico e social e estrutura familiar.

Não há uma causa específica para o Alzheimer, no entanto, tem se notado uma predisposição genética para seu surgimento. Outros agentes que podem desencadear o Alzheimer são os fatores ambientais e estilo de vida, como por exemplo, exposição a metais tóxicos, pesticidas, químicos industriais e poluentes atmosféricos.

Além de não de não haver cura para a doença, ela se agrava com o tempo passando por diversos estágios, sendo que seu principal sintoma é a perda progressiva de memória.

Estágios e sintomas do Alzheimer

Fase inicial (primeiro estágio) - sua  principal característica é a perda gradativa da memória recente. O indivíduo esquece de coisas que acabou de fazer, como por exemplo onde guardou determinado objeto. Também é possível notar pequenas alterações de personalidade e nas habilidades especiais e visuais.

Fase moderada (segundo estágio) - essa fase é caracterizada por insônia, agitação, dificuldade para falar e coordenar movimentos.

Fase grave (terceiro estágio) - nessa fase o indivíduo apresenta dificuldade para comer, resistência à realização de tarefas simples do dia a dia e incontinência fecal e urinária.

Fase terminal (último estágio) - a fase final é caracterizada por apatia, mutismo, restrição ao leito, dor ao ingerir alimentos e infecções intercorrentes.

Prevenção ao Alzheimer

Apesar de ser tida como uma doença genética, a doença de Alzheimer pode se desenvolver em pessoas com hábitos de vida pouco saudáveis. A doença não tem cura mas há algumas formas de prevenção, tais como:

  • Manter a mente sempre ativa, seja com leitura, jogos de estratégia ou palavras cruzadas.
  • Praticar pelo menos 30 minutos de exercícios por dia, como por exemplo, caminhadas, ciclismo, dança, etc.
  • Ter uma alimentação saudável e evitar alimentos ricos em gordura, como embutidos, produtos industrializados.
  • Não fumar.
  • Ter uma boa noite de sono. É recomendado dormir pelo menos 8 horas por noite para regular o funcionamento do cérebro.