A anemia é uma condição que está fortemente ligada ao sangue, isso porque ela é caracterizada pela deficiência na concentração da hemoglobina ou na produção das hemácias.

Com a função de transportar oxigênio pelo sistema respiratório, a hemoglobina é uma proteína que contém ferro e está presente na corrente sanguínea. Já as hemácias (conhecidas também como glóbulos vermelhos) são células constituídas pela hemoglobina, e sua função também é transportar oxigênio aos tecidos.

Quando há uma deficiência na produção de hemácias ou mesmo na concentração de hemoglobinas, surge a anemia, pois com a carência de hemoglobina no sangue há também a diminuição da capacidade de transporte de oxigênio.

A anemia pode ser do tipo crônica, aguda, hereditária ou adquirida, e pode ser classificada em microcíticas, macrocíticas e normocíticas de acordo com o volume corpuscular médio (VCM), ou tamanho das hemácias.

A anemia crônica é aquela provocada por uma doença base, já a anemia aguda acontece quando há uma perda expressiva de sangue, como em casos de acidentes, cirurgias, etc. A anemia hereditária está relacionada às alterações genéticas da fabricação dos glóbulos vermelhos (hemácias) enquanto que a anemia adquirida pode acontecer devido a carência de nutrientes no organismo como falta de ferro ou vitamina B12, por exemplo.

Sintomas

Os sintomas da anemia costumam ser bem genéricos sendo o principal deles a queda na pressão arterial, portanto é necessário realizar alguns exames laboratoriais para a confirmação do diagnóstico. Outros sintomas da anemia são:

  • Palidez da pele e mucosas (gengiva e parte interna dos olhos)
  • Cansaço e sonolência excessivos
  • Fraqueza e tonturas
  • Palpitação e taquicardia
  • Falta de memória
  • Dores musculares

É importante lembrar que durante a gravidez e aleitamento materno o risco de anemia aumenta, assim como nos primeiros anos de vida das crianças e também em idosos. Recomenda-se sempre uma boa alimentação principalmente na prevenção de anemia causada por carência nutricional.